Postado sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Josèphine - Imperatriz da França

Essa semana estou saudosista e ansiosa. Explico. Saudosista, pois estou lembrando muito da minha viagem à Paris ano passado, onde passei momentos maravilhosos em família. Ansiosa, pois voltarei esse ano, ainda que por tempo menor, pois visitarei mais 2 países. Fato é que nos meus devaneios saudosistas, fui rever as fotos da viagem e reparei que tinham fotos da exposição "Josèphine" que aconteceu ano passado no Museé du Luxembourg em Paris, a fim de comemorar o bicentenário de sua morte, e eu, felizmente, tive a oportunidade de ir.

Antes de mostrar algumas fotos para vocês, com um atraso enorme, diga-se de passagem, vou contar um pouquinho sobre a história dela. O que mais amo em lugares assim é que você respira história e, particularmente, isso me entusiasma bastante.

Josèphine foi esposa de Napoleão Bonaparte e Imperatriz da França. Sua história é, no mínimo, curiosa. Nascida na Martinica, filha de plantadores de cana de açúcar, certa vez teve sua sorte "lida" na palma de sua mão por uma velha empregada da fazenda. A previsão era de um futuro dourado, repleto de glória e fama. Pois bem...não é que a velha empregada acertou?

Antes de casar com Bonaparte, havia casado, aos 16 anos, com Alexandre de Beauharnais, que era amigo de sua família, tendo dois filhos. Mudaram-se para Paris e anos mais tarde Alexandre morreu na guilhotina. Foi aí que viúva e sem ter como se sustentar, começou a usar de sua beleza, se é que me entendem, para sobreviver, até porque isso mantinha sua vida de adoradora do vestir bem e das coisas boas, além de saldar suas dívidas.

Foi só aos 32 anos que a previsão se concretizou, quando Napoleão caiu de amores por ela. Depois daí vocês já sabem, Viveram felizes para sempre! Nananinanão! Apesar do casamento, ela continuou com seu círculo de amantes enquanto o marido estava na guerra. Mesmo assim, Bonaparte, ao tornar-se Imperador da França, proclamou-a Imperatriz, que ficou muito conhecida por sua elegância e bom gosto.O problema é que ela não conseguiu dar um herdeiro ao trono e aí já viu, aconteceu o divórcio público e Josèphine se recolheu rejeitada  na Malmaison. 

Aqui, um pouquinho da exposição. Espero que gostem! :) Só a título de curiosidade: Quando entrei lá fiquei empolgada porque os vestidos são muito pequenos, os sapatos também. Ela era baixinha gente! Me senti no meu ambiente haha


Postado quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Caftan mexicano

Olá! Já havia postado esse look no instagram, mas acabei nem mostrando aqui. É o tipo de roupa que não precisa de complemento nenhum porque já chama bastante atenção, não é? Você não encontra no dia a dia gente andando na rua, no calçadão assim e até quando eu comprei meu marido ficou encrencando e fez a seguinte pergunta: "Você vai usar isso?". Sinceramente não sei o motivo do "isso", pois é uma roupa linda e que super tem a ver com o étnico que amo tanto. Comprei com um mexicano quando fui à Cancun na lua de mel. Lembro que era uma barraquinha mesmo, humildezinha, ali em Tulum. Veio com um cintinho amarelo trançado que acabei não usando nessa foto, pois gosto mais desse efeito caftan mexicano mesmo. Adoro as  cores e o bordado. O Caftan é confortável e elegante demais e apesar de eu ter a opção de colocar um calçado mais étnico, uma plataforma, uma rasteira, algum calçado com franjas ou até mesmo uma gladiadora curta, preferi mesmo dar um contraponto urbano, com essa open boot, mas seguindo a cor terrosa.

Sou extremamente adepta a caftans (ou kaftans)! Eles te dão movimento, o que considero muito importante na sua comunicação ao vestir, além de ser o tipo de roupa que tem uma bagagem histórica interessante, pois representa a vestimenta de antigas civilizações da Mesopotâmia, regiões da Turquia, Síria e Iraque, além da África, Índia, Japão e até Rússia, entre muitos outros, que até hoje persiste. O Caftan vai desde a praia a até eventos importantes.

Estilistas diversos se inspiraram ao longo dos anos e produziram seus caftans e, inclusive a fantástica Diana Vreeland, deixou uma Vogue de 67 repleta de caftans. Ela amava! Não era por menos. Ela sabia das coisas!

Não é a primeira vez que mostro um caftan meu (veja aqui), e som certeza não será a última! :)



Postado terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

Vestido longo

Sabe quando você entra na loja e fica completamente apaixonada por uma determinada roupa? Aconteceu comigo quando vi esse vestido maravilhoso! Além de longo e ter esse recorte na cintura que é super sexy, tem essa estampa maravilhosa. Tudo nele me chamou a atenção e acabei comprando. Estou certa que usarei muitas vezes, pois amo vestidos, e esse roubou meu coração, mesmo eu sendo baixinha. Bom, apesar dele ter listras horizontais ali na região do meu quadril e ser hiper colorido, o que seria perigoso para me achatar ainda mais, embaixo é cheio de listras verticais e a estampa do vestido é delicada, o que colaborou para não criar o efeito indesejado. Além disso, a parte da "saia" do vestido é bem sequinha, me ajudando a ficar legal, junto com o salto. Usei acessórios prata e bronze, sempre "puxando" para o étnico. Esse colar cheio de cobras é maravilhoso (sou apaixonada por qualquer peça que tenha cobra, serpente, etc).


Vestido Oh Boy - Colar Farm - Pulseira de lojinha indiana


Postado segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

Perfeição

Olá! Hoje o post não é sobre o look do dia ou produto de beauté que eu esteja usando.


Observe as fotos abaixo e identifique o que cada brinquedo desse tem em comum (todas as fotos foram retiradas do google images)



Semana passada estava em uma determinada loja no calçadão de Nova Iguaçu, aguardando na fila para pagar os cabides que havia selecionado para comprar e como a fila estava grande, tornou-se inevitável reparar em tudo que estava ao meu redor: produtos e pessoas. Eu gosto muito disso. Sou o tipo de gente que observa mais que demonstra, que escuta mais que fala. Pois é, nesse meu ordinário exercício de observação me peguei vendo vários kits de beleza de criança, todos chamando a atenção para o que uma menina amaria: a opulência da cor rosa, a foto de uma menina (em geral loira de cabelos lisos) com um sorriso imenso imitando o movimento de alisar os cabelos com a famosa chapinha. Nas embalagens, sempre aqueles dizeres que mexem com o desejo da criança, que a fazem querer ter aquilo e os pais comprarem por seu tão bonitinho. A chapinha entra como elemento essencial de beleza.

Quantas e quantas vezes já ouvi pais mencionando o quão vaidosa a filha deles é e talvez eu quando for mãe também fique tentada a comprar uma penteadeira super rosa pra minha filha. Seria certo eu me empolgar e comprar um kit desses? Não sou hipócrita, amava e amo ainda a Barbie, que não tem qualquer identificação com a brasileira - é magra, alta, loira, modelo - e eu e muitas meninas da minha geração crescemos com o "ideal Barbie" na cabeça, apesar de eu ter outras versões da Barbie (ruiva, negra...). O problema é que hoje vejo que não é só a boneca. Todos os kits de beleza que vi naquela loja e hoje após dar um google e fazer a pesquisa, quase todos tem uma chapinha. Vejam bem. Chapinha: instrumento que alisa temporariamente o cabelo. Por que não tem também um babyliss para cachear? Por que todos tem que necessariamente ter chapinha? Porque se não tiver não vende.  A sociedade molda para que as crianças se sintam melhor com os cabelos lisos, caucasianos. A criança cresce com a imposição do liso e que seu cabelo cacheado ou afro (que cresci ouvindo na rua que seria "cabelo ruim") não serve. Agora me diz uma coisa: Não serve por quê? Para quem? 

Por mais que eu veja em revistas físicas e online falando volta e meia sobre o cabelo natural, o término da ditadura da chapinha, o que vejo na realidade, no "mundo real" é um exército de mulheres de cabelo liso, ou melhor alisado. É cabelo liso no barzinho, na academia, na festinha, é todo mundo igual, por mais que tenha gente muito bem colocada na sociedade e tenha acesso a todos informativos que o cabelo natural também é fashion. O medo de ser taxada de ter "cabelo horrível", de escutar um "cruzes, nem fez uma escovinha e saiu com esse cabelo" deve ser maior. Ok, tudo bem, hoje, queremos ser vistas, belas, magras, impecáveis, queremos "arrumar um amor". Mas que isso não macule a infância. Eu tive infância (INFÂNCIA) e acredito que muitas amigas tiveram. Brincava até me descabelar, sonhava, acreditava em fantasia. Hoje a única fantasia dessas crianças é ser lisa, perfeita,ganhar muito dinheiro, não brincam direito porque vão estragar o cabelo, a roupa, a unha... Isto é saudável? Isto é ser feliz? Não, mas parece que é social e comercialmente perfeito.

Postado domingo, 22 de fevereiro de 2015

Cidade Imperial

Ontem fui à Petrópolis com meu marido, minha tia e afilhada e aproveitei para fazer alguns registros do look para o blog. O bom da cidade imperial é que é tão pertinho daqui, que se torna uma boa opção de passeio "bate e volta" que distrai bastante. Resolvemos umas questões e após almoçarmos no restaurante  que frequento desde criança (Majórica), passeamos por pontos turísticos. O último lugar que visitamos foi o Quitandinha, um antigo hotel cassino construído entre 1941 e 1946, onde personalidades como Carmen Miranda, Walt Disney e Getúlio Vargas se hospedaram e que é o meu lugar favorito de Petrópolis. O Palácio é de um glamour tão grande, fico imaginando as mulheres naquelas roupas e penteados característicos da época percorrendo aquelas largas salas.

O look escolhido para passear foia saia midi plissada rosa blush super romântica, com uma blusinha de malha listrada com a palavra "bad' que confere uma ironia ao mood romântico. A sandália tinha que ser baixa para poder andar bastante e lembrei dessa pretinha que acabou dando peso e ficou legal. O truque de styling ficou por conta do lencinho amarrado em um dos "ombros" da blusa, bem colorido. O óculos gatinho deu o ar retrô que gosto tanto.

Saia H&M - Blusa Viva! - Óculos Arezzo - Sandália H&M




Postado sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Decor Sex and the City

Olá!! Muitas leitoras já pediram posts sobre decor, mas eu não sou especialista nisso, nem tenho pretensão de ser. Minha vida é a moda e o universo de beauté, mas é óbvio que adoro decoração e decorei meu apartamento do meu jeito, de forma amadora, mas que gosto bastante. É claro que ele ainda não está do jeito que eu quero, tudo é muito caro e o tempo é curto, mas sempre que posso melhorar uma coisinha aqui e ali me esforço para ficar legal. 

Esses dias fiquei super feliz. O site Westwing, que funciona como uma curadoria em tendências de decoração para a casa e é loja virtual, gostou do Blog e ofereceu conteúdo de decor para postar de tempos em tempos aqui para vocês verem e se inspirarem. Não é o máximo? 

Bom, para iniciar o post sobre decoração, nada melhor que um tema que tem tudo a ver com o Blog e nosso universo de moda

 Sex and the City!!

Com certeza muita gente acompanhou a vida, os dramas, os looks e tudo, tudo, do seriado mais fashion que virou filme, tempos depois. Eu amo, tenho tudo gravadinho aqui em casa. Como moda e decoração andam lado a lado, já que texturas, tendências, tecidos e cores podem ser aplicados nas duas, o Westwing se apropriou da personalidade de Carrie, Miranda, Samantha e Charlotte a fim de proporcionar inspirações de decoração de interiores.

Eu amei!! Vamos lá? (lembrando que todas as imagens são de propriedade do site Westwing)

CARRIE

"A mais fashionista das personagens, Carrie é amorosa, criativa e bem humorada. A protagonista se reinventa constantemente e sempre adota novas facetas. Leitora assídua de revistas de moda, ela se encaixa em ambientes coloridos com decoração extraordinária. A personalidade livre de Carrie pede um mix de estilos e tendências, tecidos étnicos com móveis vintage e objetos chiques – da mesma maneira como Carrie usa acessórios com roupagem antiga, vestidos ecléticos e seus famosos sapatos Manolo Blahnik."



CHARLOTTE

"Charlotte é romântica e sempre está determinada a encontrar o amor de sua vida. Por trabalhar em uma galeria, ela é uma expert em arte com gosto refinado, preocupando-se sempre com a estética. A personagem combina com um ambiente romântico e elegante. Cores leves, flores e ornamentos finos criam uma casa nova-iorquina chic. A perfeição da imagem Charlotte deve ser aplicada também aos móveis e objetos de decoração."


MIRANDA

"Forte e decidida, mas ao mesmo tempo, muito sensível, Miranda é uma mulher independente e profissional. Metódica e organizada, ela é uma amiga confiável, mesmo que algumas vezes seja cética e irônica. A decoração para essa personagem precisa ter ordem visual, com espaços decorados de forma inteligente, elegante e contemporânea. É indicado o uso de acessórios minimalistas. Porém, peças de design, como um sofá Oscar de Matthew Hilton ou cadeiras Philippe Starck, podem dar a ela o poder que gosta de sentir, servindo como sinal de sucesso."




SAMANTHA

"Samantha gosta de se divertir e se distrair com suas inúmeras aventuras amorosas. Ela está sempre em busca do prazer e, quando pode, elimina o lado ruim da vida. A personagem tem bastante resistência à rotina, segurança e monotonia, procurando sempre se aventurar e criar mudanças para sua vida. O ambiente de Samantha não pode ter tédio. O indicado é um estilo glamoroso, contemporâneo e sexy com um toque de excesso, condizente com sua personalidade forte."




Postado quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Dias carnavalescos

Para muita gente o ano novo começa hoje, mas como o espírito de carnaval ainda está no ar e eu não consegui postar durante esses dias carnavalescos aqui, é hora de atualizar.

Quem me acompanha no instagram, já viu os looks de carnaval que montei. Eu não iria viajar, mas acabei ficando uns 3 dias em São Lourenço, MG, para variar e resolvi montar looks que pudessem servir de inspiração para o carnaval, além dos looks que montei no editorial de carnaval do blog. Mas não foi apenas de looks fantasia que sobrevivi, obviamente. 

O primeiro look, foi o que eu saí de casa para ir à São Lourenço. Chegaríamos lá à noite e uma chemise que cobrisse os braços me pareceu ideal, além de confortável, para o clima mais ameno que faz lá à noite. Resolvi usar no mesmo look referências esportistas e gipsy, ou seja, incorporei uma cigana esportista, se é que existe, com a faixa de cabelo, a flatform e o colar turco. O resultado foi esse aqui:

Chemise Karamello - Flatform Zara - Colar Naira´s Bijoux


No dia seguinte, acordei inspirada e resolvi montar um look bem gostoso de usar, cheio de alegria, cor e estampa. Usei a blusa xadrez vichy com um tecido amarrado tipo pareô, como se fosse uma saia (mas por baixo estava de shorts, ok?). Fiquei doida quando minha mãe me mostrou esse tecido. Ela comprou esse e outros lindos de um rapaz africano que estava vendendo em João Pessoa. Acabou me dando esse de tanto que gostei e mal pude esperar para usá-lo. Finalizei o look com meus brincos de banana que remete ao tropicalismo e, claro, ao carnaval também e com o óculos que trouxe um ar mais cool. O resultado foi esse aqui:



Agora vamos aos looks fantasia! Estava louca para usar este casaco de paetê que era da minha vó e durante a minha arrumação, tive a idéia de brincar com as idéias de pierrô, colombina. Desenhei o coração no rosto, colei essas pedrinhas e fiz uma boca coração, mas só no meio da boca. O look ficou muito fofo, não tinha um que não olhasse na rua.

Arranjo Can Can Acessórios



O ultimo look fantasia foi à la Carmen Miranda, ou melhor, foi uma Miss Abacaxi. Aproveitei o arranjo de cabeça, onde predominava o abacaxi e usei com a tshirt de abacaxi que vocês já viram por aqui. Coloquei um shorts jeans e pronto! Também não tinha um que não olhasse na rua!



Espero que tenham gostado e se inspirado! Até o próximo carnaval!!! 

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...